Telescópio SOHO: ponto misterioso chama a atenção de internautas

Já tem alguns dias que um pequeno ponto luminoso surgiu nas imagens do telescópio espacial SOHO. Observadores experientes nem ligaram, mas diversos internautas questionaram sua origem, muitos afirmando ser um novo objeto celeste que se aproxima em direção à Terra.

Hotpixel

O hotpixel pode ser visto nesta imagem, na posição duas horas.

Desde o começo da semana o Apolo11 tem recebido diversos emails, questionando sobre o que seria o ponto luminoso que aparece nas imagens do coronógrafo LASCO C2, que registra a coroa solar a partir do telescópio espacial SOHO. De acordo com os internautas, o ponto surgiu há alguns dias e parece estar sempre fixo, diferentemente de outras estrelas ou planetas vistos na imagem.

Alguns internautas pareciam estar contentes com a presença do ponto luminoso, chegando a afirmar que era um famoso planeta hipotético, que “finalmente estava chegando perto da Terra”.

Não é um objeto!
A partir dos primeiros emails, fomos procurar nas imagens o misterioso ponto luminoso, destacado na foto e no vídeo disponíveis neste artigo.

Assim que localizamos o ponto luminoso, imediatamente descobrimos do que se tratava. Não era uma estrela, planeta ou qualquer outro objeto celeste. Tampouco era alguma partícula carregada vinda do espaço. O pontinho é conhecido como “hotpixel”, um defeito típico dos sensores de imagem.
O que é hotpixel
O hotpixel (ou pixel quente, em português) é um pixel (um dos milhares elemento de captação de fótons) que compõe o sensor da câmera e que por algum motivo ficou permanentemente ligado, como se um fóton estivesse excitando o elemento.

Em sensores de baixa qualidade é muito comum observarmos hotpixels quando usados sob baixa luminosidade e tempos de exposição prolongados. Eles também aparecem em sensores mais elaborados, mas em menor número. Existem câmeras de foto e vídeo onde os hotpixels fazem a festa e aparecem em diversos lugares da imagem. Existem sensores muito elaborados onde eles não existem.

O hotpixel recém descoberto nas imagens do telescópio SOHO, cujo CCD é de altíssima qualidade, provavelmente se formou em virtude do tempo de uso, uma vez que os sensores estão há mais de 20 anos em operação ininterrupta. Outra possibilidade é a que o elemento se tornou e permaneceu excitado por algum fóton de alta energia, que se manteve aprisionado no CCD.

No primeiro caso, onde o dano é irreparável, pode-se usar um artifício conhecido como máscara de “Darkframe”, quando o pixel em questão é sobreposto por uma máscara ou mapa adicionados eletronicamente, com as mesmas características da região do fundo, anulando sua presença.

No segundo caso a equipe do SOHO pode usar um processo físico para aquecer o CCD e tentar evaporar alguma partícula carregada que possa estar presente na superfície do sensor. Este processo é conhecido como “CCD Bakeout” e é regularmente utilizado durante períodos de manutenção do SOHO.

logo_ap11

Anúncios

Obrigado por seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s